terça-feira, 3 de agosto de 2010

E com as flores que colher eu faço meu jardim

Quando tudo me parecia meio estranho você vinha e mudava tudo, deixava a claridade me invadir e me sentia tranquila e confiante.
E agora desaparece por aquela porta sem deixar nada, nem um bilhete. E eu fico aqui me sentindo perdida, sem entender nada e com um aperto no coração. Mas a culpa é minha por criar em você a figura que eu queria pra mim. Por esperar, ficar fazendo planos e sempre acreditar em tudo.
Porém, eu não estou carregando esse sentimento, tento deixar de lado e seguir. Não que isso seja simples. Pelo contrário.
Passei por várias coisas nessa vida, então eu já tô meio que acostumada a saber até onde posso ir. Mas nem sempre meus freios funcionam e vou me envolvendo demais, antes do momento certo.  Eu esqueço de me policiar e só vou indo. O que não é de todo ruim. Aprende mais, vive mais.
E como eu estou agora? Ás vezes dói, porque suas ausências são grandes pra mim. O meu gostar ficou e vai continuar. Não deixo os bons de lado, nunca. O erro talvez tenha sido em te tranferir pro núcleo. De qualquer forma a sua importância não vai diminuir, eu não posso sair anulando tudo o que teve de bom, e o de ruim não foi nada de tanta gravidade. Só não posso mais ficar aqui sempre a disposição, achando que sempre vai vir mais e não vem o que se deseja. Nem muito menos criando qualquer expectativa.
Vou relevar, desapegar e abandonar qualquer peso.
Cultivar o melhor de mim, que uma hora os bons frutos virão.

3 comentários:

Evelyn Ceinwyn . disse...

Os frutos bons, aah os frutos bons sempre brotam, pois são o resultado da boa plantação.

Beijos.

Evelyn Ceinwyn . disse...

Tem um mimo todo especial para você lá no meu blog, passa lá.

http://folhasdemeuoutono.blogspot.com/2010/08/blogs-selo-de-ouro.html

Beijos <3

Fernanda Silvério *-* disse...

é isso ai, a gente colhe o que planta, se plantarmos bons frutos, coleremos otimos frutos *-* parabéns gaaby' _