sábado, 23 de janeiro de 2010

É mais ou menos assim...

Você tá quietinha, vivendo sua vida aí te aparece um ser que aparentemente inofensivo, bagunça a sua vida. Mas faz isso de leve, que é pra ir te deixando louca aos poucos. Não sei se é pra gente se apaixonar ou pra acabar de vez com nossos sentimentos e sentidos. O que fica é um vazio, mil perguntas e uma vontade de sair por aí e não voltar. E você quer que, mesmo depois de tudo, que ele volte pra você, mas sabe que o melhor é algo novo que te acrescente.
Independente do que for, temos que nos lembrar que ninguém tem o direito de tirar nossa alegria. É difícil desistir de certas coisas, mas as vezes é o mais nobre. Correr atrás de sofrimento não me parece algo agradável. E muitas vezes é isso que acabamos fazendo. Tantos sorrisos esperando a gente por aí, porque escolher a dor?
A ferida vai ficar em mim por algum tenpo, mas não vou deixar que me impeça de viver intensamente.

E hoje tem sol.

Um comentário:

Maria Luíza disse...

Caracaaaa!
Eu estava precisando ouvi isso de uma forma diferente, exatamente dessa!
Teu texto parece mais meus pensamentos.
ADOREEEEEEEEEEEEEEEEEI...
tô se seguindo!